GALAXY A51 CUMPRE PROPOSTA de MELHORAR CÂMERAS do A50 | Análise / Review

  • Whatsapp
htmlf img 6036fefd40923
caption


Bacaan Lainnya

PortalKotaGALAXY A51 CUMPRE PROPOSTA de MELHORAR CÂMERAS do A50 | Análise / Review. O Galaxy A50 foi um dos melhores dispositivos de gama média da Samsung em 2019.

Ok, seu preço estava exagerado, mas depois de meses no mercado, começou a apresentar uma ótima relação custo-benefício. Agora, no início de 2020, a marca sul-coreana trouxe seu sucessor a um preço ainda mais alto. Vale a pena pagar mais de R $ 2.

00 em um celular de plástico com poucas novidades? Agora você vai verificar no TudoCelular o que o A51 tem a oferecer e se é uma atualização justificável ou apenas mais um lançamento desnecessário.

Câmera estilo Cooktop é a nova tendência. Se você torceu o nariz para os iPhones lançados no ano passado, terá dificuldade em encontrar um telefone em 2020 que não tem o mesmo design cafona.

A Samsung abandonou o design da linha vertical no canto superior esquerdo para incorporar um bloco mais largo que abriga as câmeras dispostas em L, além do flash LED.

As cores permanecem preto, branco e azul, mas os tons são diferentes. Além do efeito holográfico, vimos no A30s, se você estava esperando um intermediário com um acabamento mais bacana desta vez, esqueça.

O A51 permanece com o corpo todo feito de plástico e sua tela mantém a proteção do Gorilla Glass 3 de antes. O leitor biométrico também permanece na tela e não foi aprimorado desde a primeira geração. Na parte frontal sai o entalhe de queda e agora entra um orifício na tela.

É menor do que vimos em outros telefones intermediários e está localizado bem no centro, como vimos no Galaxy Note 10 e S20.

Os engastes foram reduzidos, especialmente o inferior – isso permitiu à Samsung ampliar a tela sem tornar o dispositivo maior. O GALAXY A51 possui um painel Super AMOLED de ótima qualidade, com alto brilho e cores vibrantes.

Usar o celular fora de casa não será complicado, mesmo que o sol atinja o vidro diretamente. É sempre bom manter o brilho no automático porque o A51 pode forçar mais luz para reduzir os reflexos.

Existem dois perfis de calibração – Natural e Vívido – o primeiro oferece uma calibração de cores menos exagerada enquanto no segundo é possível ajustar a temperatura da cor.
O alto-falante está posicionado na parte inferior do dispositivo e continua a fazer um bom trabalho para esta geração.

Não é tão alto quanto no Galaxy A50, mas as características de som são semelhantes. Isso inclui um padrão de áudio mais completo, sem agudos exagerados para evitar distorção quando o volume está no máximo.

A Samsung continua economizando no fone de ouvido; o modelo é antiquado e oferece um som decente.

Mas recomendamos o uso de um acessório de melhor qualidade para explorar todo o potencial de som que o A51 pode oferecer.

É uma boa opção para ouvir música. O A51 vem equipado com a plataforma Exynos 9611, a mesma presente no Galaxy A50s.
O que muda então para o Exynos 9610 da A50? O processador é um pouco mais rápido e o chip que cuida do processamento da imagem funciona melhor com o otimizador de cena da câmera.

Ou seja, não espere um ganho de desempenho significativo Em nosso teste de velocidade, chegamos a ver um aumento no tempo de abertura e reabertura de aplicativos, o que não era esperado.

Parte da culpa está na falta de otimização do gerenciamento de RAM, que pode ser consertada em uma atualização futura. Em benchmarks com um pequeno ganho nas pontuações, com média de 10 mil pontos a mais no AnTuTu.

Nos benchmarks, tivemos um pequeno ganho nas pontuações, com média de 10.000 pontos a mais no AnTuTu.

Ou seja, o A51 roda todos os jogos disponíveis para Android, mas alguns como Call of Duty não serão capazes de jogar com qualidade máxima. No PUBG foi possível ativar o HDR Ultra.

A Samsung manteve o mesmo tamanho de bateria de antes – os 4000 mAh têm o mesmo rendimento no A51? A autonomia é virtualmente idêntica – a mais recente rendeu alguns minutos a menos em nosso teste oficial mas isso acontece por causa da tela um pouco maior.
No uso moderado, é possível sair de casa cedo e voltar no final da noite ainda com um pouco de carga.

Para quem não deixa o celular, terá que fazer uma segunda carga no final do dia ou então ativar o tema escuro para ajudar a economizar bateria.

O carregador de 10 watts leva a bateria mais de 1 hora e meia para chegar a 100% é até um tempo aceitável se levarmos em conta que muitos intermediários recentes ainda passam mais de 2 horas na tomada. O GALAXY A51 é o primeiro telefone Samsung a chegar ao mercado nacional com Android 10 e OneUI 2.0.
Como é comum a Samsung lançar uma atualização do Android para seus intermediários, então é quase certo que veremos o Android 11 no A51 no próximo ano.

O novo OneUI não traz tantas mudanças. Esta versão 2.0 tem um foco maior na usabilidade, com melhor suporte para gestos de navegação e animações mais fluidas.

No entanto, um detalhe interessante é ver o recurso Screen Edge aqui já que a Samsung geralmente só adota esses atalhos em telefones de tela curva. A funcionalidade é a mesma dos carros-chefe da marca.

Você pode abrir um menu lateral que traz atalhos para aplicativos, torna mais fácil a execução de ações e apresenta algumas ferramentas, tudo a um toque de distância.

Você pode personalizar os atalhos e a lateral da tela em que o menu deslizante aparecerá. E a TV digital de alta resolução também está presente aqui. O A51 é um das dezenas de intermediários que vem com uma câmera de 48 MP que combina quatro pixels em um.
A macro câmera também esteve presente em diversos lançamentos em 2019, e a Samsung também decidiu apostar nesse tipo de lente.

Além disso, temos um ultra-largo, que recebeu um novo sensor, e uma quarta câmera para medir a profundidade dos cenários.

É um conjunto muito completo que garante ótimas fotos. O A50 já se saiu bem na câmera e o A51 é ainda melhor.

Existe um bom equilíbrio entre cores e contraste sem exagerar nas fotos, porém, vimos telefones celulares com câmeras de 48 MP oferecerem melhores resultados.

É claro que Exynos 9611 é o fator limitante aqui e com um hardware mais poderoso teríamos imagens ainda melhores.

A câmera grande angular é uma atualização significativa da A50 e oferece clareza e detalhes aprimorados. A faixa dinâmica também é substancialmente melhor, sendo uma das melhores câmeras entre os intermediários.

Sem céu quebrado ou ruído excessivo – percebemos que satura mais as cores, principalmente os verdes. A câmera macro é outra que também surpreende.

Vimos smartphones Motorola e Xiaomi com este tipo de câmera no ano passado mas nenhum deles ficou emocionado.

No A51 o foco é fixo, ficando entre 3 e 5 centímetros de distância, mas evita perder nitidez.

O nível de detalhe impressiona para um dispositivo intermediário e para quem gosta de fotografar detalhes de plantas e animais ficará satisfeito com os resultados.

O GALAXY A51 também possui inteligência artificial embutida na câmera para identificar cenários e bater nas fotos. Muitas vezes, apenas aumenta o contraste, para dar a impressão de uma foto com cores mais vivas.
Honestamente, nem vale a pena usar.

Infelizmente, nem tudo é perfeito na câmera do A51; como é comum com telefones celulares intermediários tiros noturnos são seu ponto fraco.

A nitidez é sacrificada e há ruído excessivo. O bom equilíbrio de cores que vimos nas fotos diurnas está completamente perdido aqui.

E com ultra-wide os resultados são ainda piores. Existe um modo noturno para tentar salvar sua foto, o que ajuda a recuperar a nitidez e salvar os detalhes das sombras.

Mas não ajuda muito com as cores. Esse recurso também é útil em ambientes internos, pois reduz o ruído e recupera a nitidez. O A50 se destaca com selfies no modo retrato, e o A51 repete a mesma fórmula.

Sua câmera frontal também comprime quatro pixels em um, para capturar mais detalhes de sua pele. As selfies são muito boas e o modo retrato funciona bem.

À noite, a qualidade cai, mas ainda está no nível dos rivais. O maior avanço é para a filmadora. Enquanto o Galaxy A50 grava vídeos apenas em Full HD, o GALAXY A51 grava em 4K com a traseira, a câmera ultra-larga e até mesmo a frontal.
Curiosamente, não permite gravar em 1080p a 60 fps. A qualidade dos vídeos está dentro do esperado para um aparelho desse preço, mas o destaque fica por conta do sistema de estabilização que para de tremer.

A desvantagem é que não funciona em resolução 4K. A captura de áudio é muito boa. O GALAXY A51 chegou caro e, às vezes, leva tempo para o preço cair.

Que opções você encontra por um preço mais justo? Bem, se você quiser um melhor desempenho, podemos recomendar o Mi 9T e o Redmi Note 8 Pro da Xiaomi ou mesmo o One Zoom da Motorola.

Eles vêm com hardware mais poderoso que supera em velocidade e fluidez e em jogos também.
O 9T também possui uma câmera de 48 MP e oferece melhor qualidade geral do que o A51, mas não tem macro dedicada. E se você perdeu uma câmera telefoto no modelo Samsung, a melhor alternativa seria a One Zoom, que permite fotografar a distância com muito mais qualidade.

Se você precisar de mais bateria, qualquer um dos Xiaomi que mencionamos oferece um tempo maior longe do plugue mas apenas o Mi 9T recarrega muito mais rápido. O GALAXY A51 atualmente custa quase o dobro do A50.

Male a pena pagar a diferença? De jeito nenhum! Não houve nenhum avanço significativo na tela e no som. O desempenho não é melhor e a bateria dura a mesma. A vantagem fica ainda por conta das novas câmeras e da camcorder, que agora grava em 4k.

O GALAXY A51 é esse tipo de celular bom, mas chegou caro, muito caro. Se você se interessou pelo aparelho, espera que o preço caia abaixo de R $ 1.500, que é o que vale no início do ano.
Enquanto isso, você encontrará opções melhores e mais baratas. E para acompanhar a queda no preço do GALAXY A51 basta clicar no link da descrição, para receber alertas de ofertas.

Aproveite para comentar abaixo se você acha que vale a pena pagar o dobro do preço das câmeras aprimoradas do A50. Vou terminar por aqui, espero vê-los nas próximas análises aqui no canal.

Pos terkait